Startup brasileira focada no meio ambiente começa a sua internacionalização

Startup brasileira focada no meio ambiente começa a sua internacionalização

FONTE: WHOW! – https://www.whow.com.br/startups/startup-brasileira-focada-no-meio-ambiente-comeca-a-sua-internacionalizacao/

Por: Adriana Fonseca

Fundada em 2017, Gooxxy mudou de nome para atender o mercado externo a convite de duas multinacionais-clientes

Depois de mais de dois anos trabalhando com duas grandes multinacionais — Unilever e Mondelez —, a Gooxxy, uma startup brasileira que auxilia as indústrias a fazerem um descarte sustentável de seus produtos, começou seu processo de internacionalização justamente graças a essas duas empresas. “Esses dois clientes entenderam que a nossa solução atende qualquer indústria deles, em qualquer lugar do mundo”, diz Vinicius Alves, CEO da Gooxxy, ao portal Whow!. “A partir disso, decidimos iniciar as primeiras operações no exterior, começando por Colômbia e Estados Unidos (na cidade de Chicago).”

Fundada em 2017 e com sede em São Paulo, greentech nasceu com outro nome: XPrajá. “Entendemos que soaria melhor um nome mais internacional”, diz Vinicius. “Além disso, já tínhamos recebido uma orientação da necessidade de troca de nome do Scale-Up Alimentos e Bebidas, mentoria do programa de aceleração da Endeavor da qual participamos em 2020.”

Startup brasileira focada no meio ambiente

O negócio da Gooxxy é recolocar produtos com o vencimento aproximado, remanufaturados ou descontinuados no varejo. É uma solução que promove a redução do descarte de produtos das indústrias.

Sendo assim, a indústria disponibiliza para a greentech seus produtos que seriam desperdiçados. A startup brasileira consolida o sortimento e disponibiliza para sua base de clientes B2B, os oferecendo com desconto de mais de 50%. Esses clientes são redes de varejo e cozinhas industriais.

Em 2018, uma indústria de bebidas acumulou um grande estoque de refrigerantes em uma região com baixa aceitação do produto. Dessa forma, refrigerantes com o vencimento aproximado seriam descartados caso a Gooxxy não fosse chamada. A solução da greentech para essa situação foi recolocar os produtos de maneira pulverizada, evitando o descarte de 200 mil latinhas.

Já no ano seguinte, outra indústria, desta vez de bens de consumo, precisava introduzir no mercado um produto importado. Apesar da qualidade, ele apresentava uma baixa aceitação entre os consumidores e a falta de verba para investir em marketing levou a empresa a acionar a Gooxxy para evitar o descarte de 800 mil itens.

Atuação fora do Brasil para greentech

“Ao mesmo tempo em que oferecemos um destino muito melhor para aqueles produtos que seriam jogados no lixo, também fazemos com que a indústria deixe de gastar com o descarte”, afirma o empreendedor. Foto: Vinicius Alves, CEO da Gooxxy (divulgação)

Com seu modelo de atuação, a greentech sempre teve a internacionalização em seus planos. “Sabíamos que esse momento chegaria e estamos muito contentes de que tenha chegado com apenas três anos de vida da companhia”, diz o CEO.

A expectativa do empreendedor é que, em dois anos, a receita da startup brasileira com as operações internas represente 20% das operações globais da Gooxxy. “Como o volume de negócios é maior no exterior, acreditamos que as operações estrangeiras componham 80% do faturamento.”

Com 29 funcionários diretos atualmente, a empresa nunca recebeu aportes externos, segundo Vinicius.

Em 2018, foram R$ 8 milhões em produtos recolocados para empresas como P&G e Casa Suíça. No ano seguinte, R$ 90 milhões em produtos recolocados, somando-se à lista de clientes marcas como Mondelez, Unilever e Coca-Cola. Em 2020, mais um crescimento substancial: R$ 250 milhões em itens recolocados.

Segundo a greentech, esse montante evitou o desperdício de mais de 95 mil toneladas de produtos da indústria que iriam para o lixo.

O CEO comenta que as indústrias estão cada vez mais preocupadas com a sustentabilidade e também com a redução de gastos. Com isso, ele acredita que a plataforma da Gooxxy é vista como uma solucionadora de problemas. “Ao mesmo tempo em que oferecemos um destino muito melhor para aqueles produtos que seriam jogados no lixo, também fazemos com que a indústria deixe de gastar com o descarte.”

Fonte: https://www.whow.com.br/startups/startup-brasileira-focada-no-meio-ambiente-comeca-a-sua-internacionalizacao/

Leave a Reply